domingo, 23 de novembro de 2008

Uma história de meio século na doutrina

A chegada da família Carioca

Foi dona Lourdes Carioca (foto em destaque ao lado de madrinha Peregrina e o Mestre Irineu), quem abriu as portas da doutrina para família, em outubro de 1958.

Desenganada pelos médicos que atestaram apendicite aguda, por intermédio de dona Olivia Facundes, ela chegou nas mãos do Mestre Irineu e foi curada na primeira miração.

"Eu vi que estava grávida de uma menina. Fui curada por médicos espirituais", disse dona Lourdes Carioca.

Ela acrescenta que o trabalho era uma sessão de concentração no Alto Santo:

"_Eu fui acompanhar a Olivia e quando vi todos entrarem na fila para tomar o Daime, resolvi tomar sem nem falar com o Mestre. Quando me aproximei ele olhou um bom tempo para mim e eu para ele. Foi quando me deu três quartos de Daime. Ao tomar tive minha primeira miração. Senti primeiro minhas mãos e pés adormecendo e fui subindo, subindo... Quando me dei conta estava em um hospital com médicos vestidos de branco. Eles me operaram, abriram um buraco grande na minha barriga e me curaram. Minha emoção era tão grande que tudo que via comentava com Olivia que estava do meu lado. Soube depois do trabalho que a sessão terminou e o Mestre mandou que todos continuassem concentrados a benefício de minha cura. Nesta noite me mostraram que eu não tinha nenhuma apendicite aguda e que eu estava mesmo era grávida de uma menina”.

Desde então, a família passou a participar ativamente dos trabalhos da doutrina exercendo nos trabalhos liderados por Raimundo Irineu Serra, as mais variadas e diversas funções de confiança ao longo de cinco décadas.

Um comentário:

Mariana disse...

ah, Jairo, já vai completar um ano esta postagem. Tá bom de colocar a de 2009! Gostei do blog, não conhecia, parabéns. Bjs, Mariana